23 de outubro de 2011


1 fato sobre a minha pessoa: Eu odeio chorar na frente dos outros. Odeio demonstrar fraqueza, odeio demonstrar que eu não aguento alguma coisa... O que é irônico se considerarmos que eu sou uma das pessoas mais fracas que conheço...
Mas é, eu tenho esse defeito...
Acho que por isso escrevo tanto, por isso eu sempre me calo quando quero falar o que tá explodindo dentro de mim, chorando só debaixo do chuveuro quando as lágrimas se misturam com água, acho que na ilusçao de que não doa tanto...
Talvez por isso eu pareça "forte" para algumas pessoas. Só que no meu caso, a fortaleza, é ausência de expressar fraqueza, não a ausência dela...
Por que isso? Não sei...
Medo, quem sabe?
A maioria das vezes em que eu me expus eu sai mais machucada, mas doída... E às vezes vc simplesente se cansa de sempre sair ferido, de não conseguir ficar melhor, e de não adiantar por tudo o que sente pra fora... E aí, você fica assim... Como eu estou agora. Louca por um colo, desesperada por um abraço, daqueles que você não precisa dizer nada, só ficar ali ouvindo sua própria respiração e se controlando para não derramar um rio de lágrimas... 
Eu achava que a vida andava fácil ultimamente, e engano o meu... Ela nunca esteve tão complicada...
Eu nunca me vi tão perdida... Sem saber qual próximo dar, em qual direção. Sem saber tomar uma atitude sequer! Tudo be, a vida é feita de erros, mas acontece que chega uma hora que você simplesmente se cansa de errar, de sofrer mais, de machucar mais... Você cansa de tentar continuar com seus planos, mesmo sem saber se eles são o certos, principalmete quando você tem todo mundo te gritando que não são...
Certo, sei também que não deve-se ouvir a opnião alheia e fazer aquilo que se quer, aquilo que você acha que vale a pena e etc. Só que esse discurso é tão mais fácil no papel... Tão mais fácil da boca pra fora... A prática, é quase que impossível, principalmente na minha situação hoje.
Eu queria ter forças e coragem suficiente para jogar tudo para cima, e fazer as coisas do meu jeito. Você pode virar para mim e dizer "mas você pode" e eu te digo que não, eu não posso. Eu não posso largar tudo, eu não posso simplesmente ir contra tudo. Eu não sou assim. E é, isso pode ser errado, mas tentar mudar isso agora, depois de tanto tempo, não vai me fazer bem, e acredite eu já tentei...
Covarde. 
Sim, você pode me definir assim. Eu sou uma covarde por achar que engolir tudo e fazer as coisas conforme as outras pessoas me diz, é o correto, ou que vai me fazer feliz. Sou covarde por não por minhas lágrimas para fora, sou covarde por não ter forças para lutar pelo que eu quero..
Força...
É algo que eu sei que está aqui em algum lugar, mas acho que é tão pouca, que não gosto de gastar com o que não acho necessário. Deixo aqui na reserva para quando eu estiver bem fundo, para usar para subir mais um degrau, e então guardar de novo e tentar subir com as próprias pernas. E não é fácil, acredite...
Eu queria poder transformar as lágrimas ocultas em força suficiente para fazer o que eu quero, para fazer a dor passar... Achava que se eu chorasse até as lágrimas secarem, a minha tristeza, dúvida, covardia, iria embora junto com cada lágrima que escorresse pelo meu rosto, e mais uma vez eu estava errada...
Como é dificil ter que crescer e ter que tomar decisões que podem mudar para sempre o rumo da sua vida... Como é difícil ter que conviver com a dor, com a dúvida, com desejos...
Mas é nesse silêncio que tento dar um passo de cada vez, as vezes parando com agora, mas tentando ainda assim seguir em frente com uma ou outra lágrima deixada pelo caminho...

0 comentários: