31 de maio de 2013

Dia 48











please be only more two days....

30 de maio de 2013

Devaneios Noturnos II

Às vezes chegam certas horas em nossa vida, que precisamos de um "empurrãozinho" para continuarmos com nossos sonhos e projetos. Acho que principalmente nessa reta final dos vestibulares e etc, em que temos aula todos os dias, todas as horas possíveis e de toodas as matérias. Bate um desespero de não dar tempo de ver todo o conteúdo, de não conseguir fazer todos os exercícios, de não conseguir assistir a todas as aulas, e etc. 
E aí você pensa: "Será que foi suficiente? Será que todo meu esforço durante o semestre vai valer a pena? Será que eu consegui aprender tudo que precisava?" Entre tantas outras dúvidas que tornam essa contagem regressiva um pouco afobada demais. 
Eu estou assim. Ou estava. E nem tanto quanto as questões de conteúdo nem nada do tipo. eu já tinha dito para mim mesma que não estressaria quanto a isso. Mas minhas dúvidas e questionamentos eram a respeito das minhas escolhas...
Eu sei... Largar duas faculdades no meio do caminho "pesa" um pouco no meu curriculum sobre minhas decisões acadêmicas. Minha mãe me pergunta todos os dias se eu não vou voltar pra enfermagem, ou pra biomedicina que é meu xodó...
E eu até pensei nisso. Claro, seria a opção mais fácil afinal de contas. Eu não precisaria enfrentar o estresse nenhum de vestibular de novo, e sim os de trabalhos intermináveis e provas e etc. A vida de acadêmica nem se compara com a vida de vestibulando, eu beem sei disso. 
Então eu estava nessa situação, precisando de um estímulo a mais, de umas palavras ou de um sinal qualquer que me dissesse que eu estava no caminho certo. Pode ser fácil para você ter certeza das coisas que você faz, mas para mim isso é um pouco mais difícil, pois toda a vida eu fui acostumada a ter outras pessoas tomando decisões por mim. Fazer medicina, ou pelo menos tentar, é uma das primeiras que eu tomo por mim mesma. Acho que por isso as vezes o passo que eu tento dar não é firme, por que desta vez não está baseado em ninguém a não ser nas minhas próprias escolhas...
Talvez por isso o medo de falhar seja tão grande. Porque se cobra demais, se espera demais, se cansa demais às vezes para não dizer quase sempre
Hoje bateu um desânimo sem fim... Talvez por me sentir tão só, ou por perceber o tamanho do peso dessa minha decisão. Será que eu estou certa em seguir carreira sendo médica? Afinal eu vou ter que abrir mão de tanta coisa para poder conseguir seguir carreira... 
Mas foi aí, que depois de um dia extremamente longo, cansativo até, eu recebi o sinal que eu queria. De uma pessoa que eu nunca esperava... E as palavras dela me confortaram. Me deram a paz de Espírito que eu esperava, que eu queria.. 
Acho que eu nunca tive tanta certeza como a de agora de que é isso que eu quero, de que é isso que eu preciso para minha satisfação profissional, para minha realização pessoal. Não quero exercer medicina por status, acho isso incrivelmente ridículo. Mas eu quero porque eu percebi que é o conhecimento que me faz bem... E como eu ouvi hoje "você tem um jeito muito único e especial para isso". Meu professor não poderia ter sido mais sábio em suas palavras, mesmo que poucas e simples. Todo o seu "mini-discurso" meio que sem querer, foi o suficiente para o meu dia ter valido a pena, para o meu esforço ter valido a pena, para minha decisão ter se solidificado. 
E agora mais do que nunca, é hora de enfrentar esses últimos quinze dias de luta e batalha, e enfrentar um vestibular de cabeça erguida confiando que eu posso dar tudo de mim, e que vou fazer o meu melhor.
Pode ser difícil, alguns diriam impossível, mas dessa vez eu não vou desistir das minhas escolhas e dos meus sonhos...

Dia 47




Hoje foi dia de tudo dar espaço pra sensação de vazio e solidão...

Dia 46





"Tudo parecia cinzento, sem graça, a ponto de me trancar no quarto na clausura dos livros e de minhas fantasias"

28 de maio de 2013

Dia 45


Cansando dessa vida e ligando o foda-se de novo...

27 de maio de 2013

Dia 44

Aquela sensação que sufoca e aperta de novo...

25 de maio de 2013

Dia 43

Just... Breath....

E parece que a sensação estranha de ontem, tem nome, idade, e endereço certo...

And I hate this...


24 de maio de 2013

Devaneios Noturnos

As vezes cansa esperar...
As vezes cansa simplesmente estar aqui sempre. Estar sempre sorrindo, sempre pronta pra conversar, sempre de bom humor, sempre disposta, sempre aquela que vai ignorar as coisas ruins e focar nas coisas boas...
As vezes cansa simplesmente não poder colocar pra fora tudo o que se passa na minha cabeça, quando eu a descanso no travesseiro todas as noites.
As vezes são tantas coisas, e as vezes é tão difícil conseguir ordenar tudo...
As vezes é difícil até mesmo de compreender todos os pensamentos, todas as vontades e desejos.
As vezes é complicado aceitar tudo...
Acho que esse é o "x" da questão. Compreender, aceitar, e simplesmente tentar ignorar as coisas...
Praticar a política do desapego. Não é assim que todo mundo fala? Que as coisas são mais fáceis e etc?
O problema é que eu não sei ser eu mesmo se eu não estiver apegada a algo, se eu não estiver esperando por algo,se eu não estiver imaginando e fazendo filmes bobos na minha cabeça, inventando situações para tentar quem sabe, fazer as coisas um pouco melhores do que aparentam.
Eu queria entender porque às vezes dói mais, porque às vezes aperta mais,por que às vezes incomoda mais?
Por que às vezes que tenho vontade de chorar? Por que outras eu simplesmente consigo ignorar...
Será que eu vou conseguir sempre manter certas posturas, certas opiniões, pelo simples medo de perder?
Será que eu nunca vou conseguir me impor, e pensar "e quando que vai ser a minha vez? Quando que eu vou poder ser a garota que ganha, que não se preocupa, que tem a vida que pediu a Deus?"
Será que eu vou ser sempre a que vai continuar tendo essas coisas somente em meus sonhos e no meu universo paralelo?
Será que eu não vou ter nunca a minha vez, e vou ter que continuar fingindo esses sorrisos em certos dias, só pra manter a pose?  Pra ser a compreensiva, a feliz, a que sorri sempre, que fala demais, que ouve demais, que pensa demais, que vive de menos...?
As vezes cansa ser eu...

Dia 42

Ser mulher às vezes é um saco...


22 de maio de 2013

Dia 41

Acredito que finalmente entendi quando dizem "o que os olhos não vêm o coração não sente"...

21 de maio de 2013

Devaneios matinais...


O que dói as vezes não é crescer. Não é se tornar adulta, nem mais madura ou assumir responsabilidades... 
O problema maior para mim são as atitudes e decisões que se devem tomar em determinado momento da vida. Claro que isso são consequência desse "amadurecer", mas porque quando tudo isso tem que ser feito, tem de ser feito sozinho? Não, não adianta ter um melhor amigo agora, ou ter um guru espiritual ou sei lá o quê . Tem coisas que tem de ser escolhidas sozinhas. É aquele passo importante que você tem que dar na vida e não pode contar com ninguém para segurar sua mão, ou te dar um empurrãozinho... Porque você tem de aguentar as consequências sozinha, você tem que assumir o que quer.
Mas... O que fazer com o medo? Não dá simplesmente pra pôr no bolso e fazer de conta que nada pode te derrubar, e que nada pode ao menos te abalar. A caminhada não é tão fácil assim (quem me dera). Então por quê ninguém ensina como fazer? Por que ninguém ensina como se manter motivada todos os dias, e correr atrás dos seus sonhos sem medo do que vai encontrar no final, ou sem medo dos obstáculos no meio do caminho?
Viver não é fácil. Ninguém na verdade nunca disse que seria... Mas é preciso.
Eu só queria uma forma mais fácil, uma forma que não fosse tão temerosa, tão incerta...
Eu queria saber dar esse passo e ficar firme no lugar. Queria ter certeza que é certo, queria ter forças pra lutar todos os dias e buscar os sonhos.
E assim conseguir ser feliz....



Já vivi dias de tédio, de medo, de sorrisos e de flores. Já tive que me afogar no travesseiro pra ninguém perceber as minhas lágrimas que, de tão teimosas, caiam sem pedir licença.
Corri com medo de não chegar a tempo na aula, em casa e na vida. Já tive vontade de sumir porque achava que os problemas eram demais pra mim, que a saudade era tamanha que eu jamais conseguiria me livrar dela e ser feliz de verdade. Mas ainda bem que eu estava enganada. Ainda bem. 
Tenho me tornado uma mulher forte, por necessidade, eu admito, e tenho percebido que por mais longa e doída que seja a minha angústia, ela passa e me ensina a juntar novas forças e encarar os amanhãs. Tenho crescido e percebido como é importante sonhar mas com os pés no chão. 
Porque o tempo dos contos de fadas já se foi, a coleção de figurinhas coloridas também e a vida cobra de mim -mais do que eu esperava. E, mais do que nunca, eu sei que mesmo me despedaçando as vezes, preciso me reintegrar pra me tornar completa.
                                                       -Wanderly Frota


20 de maio de 2013

Dia 40

"Vem me amar. Arranca as vestes da minha alma, desnuda meu sorriso mais doce.
Torna-me tua..."



19 de maio de 2013
















And everything change...


17 de maio de 2013

Dia 39

Pelas suas declarações mais simples, nos momentos que menos espero, e que me fazem tão feliz...

Dia 38

Stop to think, stop to worry. Just... Breath and live your life.


9 de maio de 2013

Dia 37

É uma paixão que não se explica,  apenas se vive!

7 de maio de 2013

Dia 36


Palavras nunca serão suficientes para expressar tudo o que eu sinto quando estou com você...

5 de maio de 2013

Dia 35







Aqueles dias que você apenas se sente impotente...

3 de maio de 2013

Dia 34

Precisando de colo, precisando respirar, precisando dar um tempo de tudo isso antes qe eu não aguente mais...

2 de maio de 2013

Dia 33



A cabeça não pára, as ideias não se organizam e eu não tenho tempo para me expressar como quero...
Droga...