26 de outubro de 2014

God's Not Dead


Quando um filme muda tudo...
Eu realmente não esperava nunca tanta coisa linda, tanto aprendizado em 53min de um filme que tinha tudo pra ser só mais um falando sobre Jesus. Deus Não Está Morto é muito mais do que isso... Te faz refletir, não só você que não acredita nEle, mas principalmente você, ou eu, quem acredita.

É uma reafirmação na fé que todo mundo deveria de ter. Foram as mensagens certas, no momento certo... Porque eu tenho um Deus que me ama incondicionalmente, e sempre vai preparar aquilo que é melhor para mim... E se mesmo assim eu escolher não segui-LO, Ele vai me acolher quando eu resolver voltar, Ele vai enxugar as minhas lágrimas, Ele vai me amparar, e Ele seria capaz de morrer novamente em uma cruz só para me salvar, porque seu amor é incondicional...

Depois de hoje, eu só tenho a agradecer, Senhor, pelo seu amor. Por não desistir de mim nunca, por ser a minha esperança e o que me impulsiona a seguir em frente todos os dias. Obrigada por me mostrar o amor perfeito, e me dizer que eu não preciso de mais nada, que isso me basta....
Porque o meu Deus, Ele não está morto....

13 de outubro de 2014

Romances.. É nisso basicamente que a minha vida fora estudos - sim, por incrível que pareça, ainda me resta uma vida assim- anda se baseando. Eu sei, é um pouco deprimente, mas se pensar bem, foi uma forma quase que "saudável" de conseguir passar por tanta coisa. 
Quando você se depara em certo momento da vida em que percebe que a sua vida amorosa simplesmente parece estar fadada a não dar certo, viver os romances de outras pessoas não é má ideia. Mas esses dois livros particularmente me chamaram atenção. Eles acabaram de chegar para mim, eu não os li, porém são histórias que de certa forma me tocam... Um por se tratar de um amor que aparentemente o tempo e a distância não deixam dar certo, o outro por se tratar de alguém que precisa reviver seus sonhos de adolescente para seguir a vida. Não têm muito a ver um com outro, eu sei. Mas eles se parecem comigo... 
Eu estou ansiosa para conhecer Brett e ver o que ela fez da vida, as escolhas que ela tomou e o quanto isso pode ter afetado a sua vida adulta. Quando você está próxima de definir o seu futuro, por algum motivo, essas coisas passam a interessar mais. No fundo, espero que não tenha destoado muito, e se sim, que ela tenha conseguido encontrar a felicidade de qualquer forma. Afinal, é essa a grande questão não é? O encontro da felicidade? Quando ela finalmente vai vir bater a nossa porta e mudar o rumo das coisas, e mostrar que nem sempre os nossos planos são àqueles que estavam destinados para nos fazer felizes. Ou às vezes, a felicidade não chega arrancando portas, ou fazendo "barulho". Ela pode chegar de forma doce, sem que seja notada, e vai se acomodando a nossa vida, até percebermos que temos tudo que poderíamos ter. Veremos o que Brett tem a me mostrar...
E quanto à Mia... Deus... As vezes eu não gosto dela por ser tão parecida comigo. Ela tinha um sonho de ir para uma faculdade para o outro lado do país. Longe de tudo e de todos, mas uma acidente muda a sua vida por completo. E depois de 3 anos, ela reencontra com uma noite o grande amor da vida dela. Encontrar o grande amor da sua vida em um pequeno espaço de tempo... Sei bem a sensação desesperadora que é, Mia.. E espero muito, muito, que você possa ouvir seu coração seja quando ele bata mais forte pela música, ou pelo Adam... Não sei... Mas espero que eu te encontre uma pessoa diferente agora, e que as suas decisões possam me ajudar a enxergar lados diferentes de uma mesma situação. De qualquer forma, também espero que você encontre a felicidade.
Livros...
As melhores companhias, nas melhores horas... Os que me fazem rir, chorar, pensar, sonhar... Sair um pouco de mim e me permitir viver, nem que seja pela perspectiva de outra pessoa, outra vida. Me permite deixar de ser eu, e largar esse stress e essa carga tão pesada que às vezes eu carrego nos ombros. Se tornaram mais do que nunca  minha válvula de escape, minhas "viagens", meu refúgio, minha chance de felicidade...

5 de outubro de 2014

Devaneios de meio de tarde II




Alguns medos vc tem a impressão que já superou... Algumas angústias, algumas frustrações... Mas a verdade é que elas nunca te abandonam, estão sempre ali de alguma forma para te lembrar de tudo que podem causar. Em dias como hoje basta uma olhada no espelho, para que eu possa identificar o que dói. Aquela coisa que grita "vc não é boa o suficiente. Nem pra ele, nem pra ninguém, nem pra nada, na verdade". Quantas vezes eu já ouvi essa semana para desistir, para largar tudo e pensar em outras coisas, em outro futuro... Mudança... Aquela palavrinha que assusta tanto, porque você nunca sabe oq esperar depois que ela passa. Não é de toda uma má ideia, apenas não sei se quero mudar... Mudar meu jeito para que finalmente alguém me ame de volta? Não. Sempre ouvi que devemos amar as pessoas pelo que elas realmente são... É difícil, porque ser quem eu sou só tem me causado frustração, choro, insônia... Eu não aguento mais, essa é a verdade. Levar tanta patada na vida, enquanto eu me esforço e faço tudo que eu posso... Até quando? Até quanto eu vou ouvir "não"? Até quando eu vou ter que esperar minha vez pra poder bater no peito e finalmente dizer "eu sou feliz"?...