22 de novembro de 2014

Devaneios de meio da tarde III

Esperar... Essa pequena palavrinha que as vezes pode significar a eternidade. Essa pequena palavrinha que pode me custar todo o restante das forças que eu tenho. Essa palavrinha que tantas vezes é a que eu tenho que me apegar para não desmoronar, para não jogar tudo para o alto e desistir, ou não sei... Apenas sair dessa estado em que me encontro.
Esperar às vezes, ou na maioria delas, pode ser a única alternativa quando você percebe que não pode fazer mais nada, que já se esforçou o quanto podia, que já fez tudo que encontrava a seu alcance, que já pensou em todas as possibilidade e percebe que não consegue encontrar nenhuma diferente. 
Esperar... Pelo que?
Teoricamente pelo melhor, por algo que te faça valer a pena todo o esforço, todas as renúncias, todas as crises, todos os dias cinzas...
Esperar pelo dia de sol, pelo dia bonito, esperar por aquilo que necessariamente vai te fazer feliz, te fazer sorrir a toa, te fazer se sentir leve, sentir que o tempo não passa, sentir que a vida realmente foi feita para se viver.
Se eu estou idealizando tudo isso, e vou morrer querendo viver uma história assim? Talvez... 
Talvez no fundo eu realmente tenha paciência para esperar por essas coisas, talvez eu sempre venha a estar esperando por algo, talvez seja esse o sentido de tudo afinal. Fazer algo esperando por um grande talvez lá na frente (obrigada João Verde por isso). Ou talvez não. Talvez o meu destino (e da grande maioria) seja apenas realizar tudo aquilo que acredita e no fim não conseguir encontrar o que se estava esperando. Talvez a vida sempre vai ser cheio de "vazios", de "talvez", de coisas que não serei capaz de entender. 
Talvez no fundo só em reste esperar, só me resta fica aqui, mesmo que sem forças, mesmo sem perspectiva, mesmo que o cansaço fale mais alto. Mas esperando e tendo fé que algo melhor vai acontecer...

Música do dia, da semana, do mês, da vida...

16 de novembro de 2014



Da série: músicas que traduzem momentos...

2 de novembro de 2014


Quando você queria chegar em casa e poder contar com aquele abraço único...
Mas você não pode...