2 de janeiro de 2015

Ano Novo, Nada Novo

Vamos lá... Mais um ano, mais uma lista de metas idiotas que nunca serão cumpridas. 
Não, definitivamente 2015 não começou como eu planejei.
Não começou com um beijo a meia noite, não começou com as perspectivas que eu esperava, não começou com o "eu te amo" que eu queria ter ouvido - mesmo sabendo que não foi por faltaa de tentativa (me desculpe de novo por isso...).
Não, 2015 começou sendo o ano da despedida, sendo o ano da mudança que eu não queria, sendo o ano dos aborrecimentos e ainda estamos no segundo dia. Nada de bom até o momento.
Eu queria ter feito uma lista de metas, mas observando a que fiz no ano passado, percebi que é realmente besteira tentar cumprir tudo aquilo. Alguma coisas eu surpreendentemente consegui realizar, algumas tantas outras só ficaram no projeto, infelizmente.
Essas coisas podem parecer um pouco deprimentes, se pensarmos pelo lado que em um ano novo se esperam mudanças, fazemos planos e prometemos sermos pessoas melhores. É, provavelmente eu deveria estar fazendo isso mesmo, mas eu cansei de tudo isso. Cansei dessas ilusões trazidas com um começo de ano. Se pensarmos bem, nada realmente muda a não
ser a data do calendário. O fato de um ano novo estar começando não muda em absolutamente nada! As coisas de repente não vão começar a dar certo só porque agora escrevemos 2015 no final das datas. Você não vai se tornar uma pessoa milagrosamente melhor só porque é início de ano, ou alguma coisa do tipo. Mudança de ano, se pensarmos bem, só serve para calendário escolar. O tempo, implacável, continua a correr da mesma fora.
Talvez não ter feito plano para esse ano não seja de todo ruim, dessa forma eu dou mais oportunidades para esse ano que começa de me surpreender! Camon! São 364 dias! Não é possível que ele não vai conseguir me fazer sorrir com algo inesperável pelo menos umas 30 vezes. (Acho que estou sendo otimista aqui, mas vamos tentar manter o ambiente um pouco bom)
Então 2015, nós dois começaremos diferente do que vem sendo os meus relacionamentos nos outros anos. Afinal, você tem tudo para me surpreender. A ideia de uma faculdade finalmente. Morar longe da família finalmente. Morar sozinha. Ter a minha vida. Eu sei que deveria estar supere empolgada com tudo isso, mas não consigo ter um pinguinho de ansiedade quanto a absolutamente nada disso. Talvez por acreditar que não sejam esses os planos que eu imagino que Ele tenha para mim, quem sabe...
Só sei que vai ser assim. Sem listas, sem metas, sem expectativas...
Que seja um novo começo, e que seja surpreendente....

0 comentários: