12 de junho de 2015

Eu queria poder dizer que eu odeio o dia dos namorados. Mas seria injusto... 
Eu queria poder dizer que odeio o amor... Mas seria mais injusto ainda.
Eu queria poder dizer que odeio o destino por ter me colocado nessa situação... E aí talvez eu esteja sendo um pouco justa.
Mas eu não posso esquecer da distância que o acompanha nessa lista de odiados... Eu não posso me esquecer desses anos todos em que eles vêm me atormentando... Eu não posso me esquecer do tempo que parece insistir em não passar para mim, ou faz isso de forma errada.
Há algum tempo eu descobrir que amar alguém poderia ser doloroso, poderia ser difícil, poderia ser estressante, dentre muitas outras coisas. Todos nós sabemos, como nosso velho amigo Zé Ramalho disse uma vez "sinônimo de amar é sofrer", e nunca uma frase foi dita tão sabiamente. Eu só queria entender como um sentimento que por vezes é considerado a salvação do mundo, pode ser tão extremamente... Difícil.
Amar alguém que não se vê sempre, não se toca, não se sente o cheiro, o abraço o beijo... Pior ainda.. Ter a impressão que tudo isso é correspondido torna as coisas ainda piores. Passar a data de hoje sem ele não é só passar o dia dos namorados sozinha... É como se fosse um tapa na minha cara, pra me mostrar que estou sem ele todos os dias... Malditas redes sociais que só ficou cheia hoje de casais felizes com mensagens fofas... Não que eu quisesse postar uma foto nossa, ou fazer um vídeo cheio de foto nossa... Eu gosto dos meus textos, eu gosto das minhas coisinhas fofas, mas provavelmente não para ser exposto para o mundo. Eu queria só poder estar com ele. Só ficar com ele. Nem que fosse pra passar o dia deitada, olhando pra ele conversar, olhando pra ele me fazer rir daquele jeito que só ele sabe.. Nem que fosse pra ter ele me matando de cosquinhas, como ele ama fazer. Sentir ele me arrancar sorrisos enquanto me beija, sentir a mão dele apertar a minha cintura, sentir ele respirar fundo quando eu mordo o lábio inferior dele. Eu só queria aquela sensação de frio na barriga constante que ele me causa só por estar perto de mim. Meu coração disparado, minha falta de ar e meu nervosismo, que ele ainda me enche o saco até hoje. Eu não queria sair para um restaurante caro e depois para um motel. Eu não queria sair desfilando com ele num shoppiing de mãos dadas.
Eu só queria estar com ele. No conforto do nosso lugar, deitada no peito dele enquanto ele mexe no meu cabelo... Eu só queria poder olhar pra ele hoje e dizer o quanto ele me faz feliz, o quanto ele me faz bem, o quanto eu agradeço a Deus por ter me dado ele de presente. O quanto eu o amo. Porque eu sei que não vou sentir isso por mais ninguém, então ele merece saber. Ele merece saber de cada pedaço meu que o ama, e eu queria poder demonstrar isso. Eu queria poder mostrar pra ele como ele é importante na minha vida, como eu quero passar o resto dos meus dias ao lado dele, como eu quero a felicidade que ele me causa sempre. 
Eu só queria que ele soubesse. Não o mundo, não as redes sociais. Ninguém mais a não ser ele. Que conseguiu conquistar meu coração e que consegue a cada dia mais, mesmo depois de tanto tempo, mesmo com a distância, mesmo com tudo que nos impede de ficarmos juntos hoje... Eu queria que ele soubesse que ele é sim o amor da minha vida e que eu não digo isso somente hoje. Eu vou dizer isso sempre... Mesmo que o destino e o tempo resolvam trapacear e não nos deixar juntos um dia bate na madeira... Sempre vai ser ele. Independente de quando, de onde ou de qualquer motivo... Eu o amo e vou amar sempre...




Feliz dia dos "semi-namorados", amor...

0 comentários: